Buscar

Minha transição de carreira

Resolvi em meu primeiro artigo no site contar um pouco como foi minha transição, o caminho e tempo que levei para se concretizar. Acredito muito nos sinais e mensagens que a vida nos dá e acho que foi isso o que aconteceu comigo.


Vejo minha trajetória de carreira como uma aprendizado constante, que me fez crescer e voltar para aonde comecei: a partir da minha formação como psicóloga.


Iniciei minha carreira com a certeza de que iria trabalhar como psicóloga clinica com crianças e família. Fiz meu estágio, minha clínica, mas acabei entrando no mundo corporativo, na área de Recursos Humanos - sempre trabalhando com pessoas, não me distanciando de minha vontade de apoiá-las.


Há mais ou menos 9 anos, quando fiz minha primeira formação de Coach, enxergo reacender de uma chama em mim: do quanto me faz bem esse olhar para o outro. Fazia isso no meu trabalho com minha equipe principalmente e com os projetos que fazia nos quais envolvia pessoas, mas isso já não me bastava mais. A partir de então, comecei a buscar atividades em paralelo que preenchessem mais esse lado.


Em 2017 fiz uma formação específica: de Medical Coaching, cujo objetivo é apoiar pessoas com doenças crônicas e em momentos de crise. Como falei no início, acredito muito nos sinais e que não existem coincidências. Nessa ocasião tive uma crise da minha psoríase, coisa que não acontecia desde minha adolescência. Isso para mim foi um sinal: “Epa! O que está acontecendo para meu corpo estar berrando desse jeito?!”. Como estava fazendo a formação para apoiar pessoas nessa situação que estava vivendo, parei e pensei que não estava me fazendo bem a forma e jeito que estava vivendo e que estava no momento de minha revisão de vida, além de realização enquanto profissional e pessoa.


Desde então foquei em realmente me desenvolver para fazer minha virada e voltar a atuar mais diretamente com pessoas, pois aonde estava não estava me satisfazendo mais. Fui aos poucos me desapegando.


Com a pandemia tive certeza do que queria e vi que já estava na hora, pronta para essa mudança. Consegui arrumar tempo para mim, fazer minhas caminhadas e até fazer yoga - coisa que nunca tinha feito. E mais: consegui emagrecer, algo que já tentava há anos! Quem via achava loucura, depois de 30 anos e ainda faltando tempo para me aposentar, tomei essa decisão sabendo que era o momento certo. O que estava buscando era satisfação pessoal, qualidade de vida, tempo para mim e para fazer o que eu gosto. Isso foi o que pesou na minha decisão, sem medo de ser feliz e me sentindo desafiada a construir um novo caminho com uma nova proposta de carreira, mas do meu jeito e com a minha cara, fazendo o que amo.


Te convido a refletir e pensar se você também está vivendo o que te realiza.

Vamos juntos?

57 visualizações2 comentários

Posts recentes

Ver tudo